4
Shares
Pinterest Google+

Como havíamos publicado no inicio de janeiro, um dos aviões mais emblemáticos do mundo voltou novamente ao céus. Exatamente, 77 anos após o seu primeiro voo, o Breitling DC-3 deu início ao grande périplo, que deve conduzi-lo, de março a setembro de 2017, à volta do planeta. Uma nova proeza para este avião lendário que marcou, para sempre, a história da aviação.

A 9 de Março de 1940, o bimotor de hélices Douglas DC-3, que voa atualmente com as cores da Breitling, efetuava o seu voo inaugural aos Estados Unidos. Três dias depois, ele era entregue à companhia American Airlines. Alugado ao exército americano, de 1942 a 1944, ele foi posteriormente explorado por diversas companhias norte-americanas. Adquirido, em 2008, pelo piloto Francisco Agullo e por um grupo de amigos, com o apoio da Breitling, e, em seguida, restaurado, este veterano, em perfeito estado de voo, participa, desde logo, em múltiplos espetáculos aeronáuticos, assim como em manifestações organizadas pela marca.

Rota que o DC-3 vai utilizar para concluir a volta ao mundo (Divulgação)

Em 2017, a Breitling decidiu lançar o seu DC-3 numa grande volta ao mundo por etapas, pontuada de inúmeros eventos e participações em espetáculos aéreos. O sinal de partida desta «Breitling DC-3 World Tour» foi dado em Genebra, a 9 de Março, numa conferência de imprensa. Francisco Agullo apresentou o projeto, assim como o programa. Jean-Paul Girardin, o vice-prêsidente da Breitling, evocou o papel da marca, nesta grande aventura, e desvendou a edição limitada Navitimer Breitling DC-3 (500 peças), que embarcou a bordo do avião, de modo a realizar, também ela, a volta ao mundo, e que será colocada à venda, no Outono, com um certificado assinado pelo comandante. Os pilotos usarão igualmente, ao longo da viagem, os exemplares deste cronógrafo da aviação, com uma gravura especial. Os participantes da conferência estiveram posteriormente presentes na pista do aeroporto de Genebra, a fim de visitarem o avião, antes de deixarem que a tripulação finalizasse os preparativos da descolagem.

Depois dos Balcãs, o Breitling DC-3 deve alcançar o Médio Oriente, a Índia e, em seguida, o Sudeste Asiático, a China e o Japão, onde ele foi especialmente convidado a participar no «Friendship Day Air Show» de Iwakuni. Ele atravessará posteriormente o oceano, a fim de encetar uma grande volta aos Estados Unidos, antes de regressar à Europa, passando pela Gronelândia e pela Islândia, e de terminar o seu périplo em Setembro, no Breitling Sion Airshow 2017, na Suíça. Aos 77 anos, o Breitling DC-3 é o mais velho avião a empreender, deste modo, uma volta ao mundo e este novo título de glória virá juntar-se à já longa lista das suas proezas.

tJean-Paul Girardin, o vice-prêsidente da Breitling ao centro com Jean-Paul Girardin, idealizador do projeto, a esquerda juntamente com os tripulantes do DC-3 que vão levar o dC-3 a volta ao mundo (Divulgação)

Ao organizar esta Breitling DC-3 World Tour, a Breitling pretende partilhar novamente a sua paixão pela aeronáutica com um vasto público, sob todos os horizontes.