0
Shares
Pinterest Google+

A Airbus Defence and Space concluiu com sucesso os testes de contato automático de reabastecimento aéreo (Air-to-Air Refueling – AAR), anunciou a empresa que afirma ser a única no mundo a realizar este tipo contato.

Nos testes estiveram envolvidos uma aeronave Airbus A310 MRTT tanque e um caça F-16 da Força Aérea Portuguesa. De acordo com a Airbus Defence and Space, foram realizados seis contatos automáticos em uma demonstração técnica que a empresa acredita ser a grande promessa das operações AAR.

O sistema automático não requer nenhum equipamento adicional na aeronave receptora, e tem o objetivo reduzir a carga de trabalho do operador, aumentar a segurança e optimizar taxa de condições operacionais para maximizar a eficiência em combate, segundo a Airbus Defense and Space.

O novo sistema de contato automático pode ser introduzido na atual produção de aeronaves A330 MRTT a partir de 2019.

Confira as imagens do contato automático de reabastecimento aéreo:

Funcionamento

O funcionamento do sistema de contato automático de reabastecimento aéreo, como de costume, consiste em uma abordagem inicial e rastreamento do receptor realizado pelo Operador de Reabastecimento Aéreo (ARO). Utilizando então técnicas passivas inovadoras, tais como o processamento de imagens, determinam a posição do receptáculo da aeronave receptora, quando o sistema automático é ativado. Uma vez ativado, um sistema de controle de voo totalmente automatizado dirige a lança no sentido do receptáculo da aeronave que receberá combustível. Um feixe telescópico dentro da lança permite realizar o contato de diversas maneiras, incluindo: manualmente pelo ARO; em um modo de manutenção relativa; ou em modo totalmente automático.

Durante os testes realizados no dia 21 de março sobre a costa portuguesa, a aeronave tanque realizou seis contatos em condições de voo de 25.000 pés (7.600 metros) a uma velocidade de 270 nós (500 km/h) durante 1h15m de teste. Ambas tripulações reportaram que a operação ocorreu sem falhas.

“A coisa mais importante foi que o sistema pode acompanhar o receptáculo. Foi muito gratificante, porque ele funcionou perfeitamente e nós conseguimos realizar os contatos com a automação ligada como planejado. Isso certamente vai reduzir a carga de trabalho, especialmente em condições meteorológicas adversas”, disse David Piatt, Operador de Sonda de Reabastecimento, ou “boomer” da aeronave tanque.

“A missão de teste foi bem monótona e realizada sem problemas inesperados – que bom sinal. A partir do momento que o boomer aceitou o contato, a lança dirigiu imediatamente para o local correto. O contato em si foi muito preciso e rápido. Você pode notar a diferença – você sente menos no cockpit, e nota que o sistema é mais preciso”, disse o piloto do F-16 da FAP, conhecido pelo indicativo “Prime”.

Miguel Gasco, chefe do Laboratório Incubador da Airbus Defence and Space, disse: “Isso representa um avanço fundamental nas operações da lança AAR, com a promessa de aumentar a taxa de contatos, reduzindo nomeadamente a carga de trabalho do operador e aumentando a segurança. A operação automática é um pilar importante do nosso desenvolvimento Smart MRTT que já está em andamento”.

A tecnologia de imagem subjacente a técnica automática AAR foi originalmente desenvolvida para ser usada na divisão espacial da Airbus, afim de fornecer soluções para reabastecer satélites no espaço ou para a remoção de detritos espaciais e aplicada pelo Laboratório Incubador  Airbus Defence and Space em aeronaves de reabastecimento aéreo.