8
Shares
Pinterest Google+

[Atualizado em 03 de abril de 2017]

Se você é um apaixonado pela aviação, certamente você já deve ter ouvido falar do aeroporto de Princesa Juliana, na ilha de Saint Martin, no Caribe. Com a praia de Maho situada a poucos metros da cabeceira da pista 10, o local é muito disputados por aqueles que querem tomar banho de mar e desfrutar do ponto privilegiado para assistir pousos e decolagens.

Apesar de ser um ótimo lugar para celebrar a aviação, também pode ser um local muito perigoso.

Isso foi provado na última terça-feira, 07 de março, quando um spotter registrou o momento que um Boeing 737-800 (WestJet 2656) teve de arremeter durante uma aproximação irregular que deixou os presentes assustados.

A aeronave da canadense WestJet que chegava de Toronto, no Canadá, encontrou teto baixo na aproximação para Princesa Juliana e quase experimentou uma Colisão com o Solo em Voo Controlado (CFIT – Controlled Flight into Terrain) uma forma de desorientação espacial, onde os pilotos não percebem com clareza a posição da aeronave em relação ao solo e colidem com este.

Como é possível ver no vídeo, o 737 arremete em altitude aproximada de uma envergadura da aeronave, ou seja, cerca de 34 metros.

Graças a rápida intervenção dos pilotos, felizmente, foi possível arremeter em segurança. De acordo com os mídias internacionais, cerca de 45 minutos depois do incidente, o 737 da WestJet retornou para uma segunda tentativa, pousando em segurança.

No vídeo, cedido pelo site ATCpilot.com também é possível ver a comparação entre ambas aproximações, confira:

Apesar do perigo relacionado com a condição da praia de Maho estar situada a cabeceira da pista 10 e aberta ao público, nunca houve acidentes registrados, apenas incidentes relacionados com o jetblast, onde as pessoas são empurradas pelo os gases lançados pelos motores das aeronaves.

Vídeo enviado pelo ATCpilot.com exclusivamente para o Jornal do Ar, revela imagens do interior da cabine do 737. No vídeo, além de ser possível ver a aeronave a se aproximar da água, ainda é possível ouvir uma passageira a dizer: “Oh my god we are so low” (“Oh meu Deus, estamos muito baixo”), logo a seguir ouve-se a tripulação dar potência aos motores da aeronaves.

De acordo com o ATCpilot.com, a Canadian Transportation Safety Board (CTSB), autoridade para segurança da aviação civil do Canadá, abriu uma investigação para apurar o incidente.

Directa Seguros