0
Shares
Pinterest Google+

A Boeing, o principal fornecedor de aviões comerciais para o mercado chinês, anunciou hoje, uma nova estimativa de mercado para a China. Segundo a fabricante de aeronaves americana, estima-se uma demanda de 7.240 novos aviões para os próximos 20 anos, com o valor de quase US$ 1.1 trilhões de dólares.

A Perspectiva de Mercado Atual (CMO) da Boeing foi divulgada em Pequim com uma demanda total de mais 6,3% em relação à previsão do ano passado.

“O contínuo crescimento econômico da China, o investimento significativo em infraestrutura, o crescimento da classe média e evolução dos modelos de negócios das companhias aéreas, apoiam a perspectiva de longo prazo”, disse Randy Tinseth, vice-presidente de Marketing da Boeing Commercial Airplanes. “O tamanho da frota da China deverá crescer a um ritmo bem acima da média mundial, e quase 20% da demanda global de novos aviões serão de companhias aéreas com base na China”, acrescentou Randy Tinseth.

Aviões de corredor único (narrowbody) continuam a ser a base das frotas domésticas e regionais na China. Com base nisso, a Boeing vê a necessidade de 5.420 novas aeronaves narrowbodies até 2036. Esse valor representa 75% do total de novas entregas.

Encomendas para clientes chineses demonstram que o novo 737 MAX 8 permanece no coração do mercado de jatos narrowbodies, segundo Randy Tinseth.

Para a frota de aeronaves de fuselagem larga (widebody), a Boeing prevê uma demanda de 1.670 novos jatos para os próximos 20 anos. Companhias aéreas procuram pequenos e médios jatos widebodies para atender a expansão e flexibilidades de rotas de longo curso. Já o mercado de cargas, prevê a demanda primária de grandes widebodies.

Previsão de entregas para o mercado chinês até 2036
Tipo de avião Assentos Total de entregas Valor em dólares
Jatos regionais 90 ou menos 150 15 bilhões
Narrowbody 90 a 230 5.420 570 bilhões
Pequeno widebody 200 a 300 940 260 bilhões
Médio/Largo widebody 300 ou acima 550 190 bilhões
Cargueiros widebody ——— 180 60 bilhões
Total ——— 7.2401.09 trilhões

 

Directa Seguros